DiVersos nº27

Em memória de Carlos Felipe Moisés

Pela primeira vez em mais de vinte anos, um dos colaboradores de um número da DiVersos morre em pleno período de preparação desse número – neste caso o nº27. Carlos Felipe Moisés chegou até nós – tal como, também neste número, Renata Pallotini –, pela mão amiga de Elisa Andrade Buzzo, ela própria aqui presente com alguns poemas do seu livro Notas errantes. Carlos Felipe Moisés não chegou a ver a DiVersos com a sua miniantologia, a que o convidámos, e que ele próprio selecionou e organizou. As mensagens que a propósito dela trocámos entre maio e julho de 2017 revelaram bem que estávamos perante pessoa extremamente gentil e afável. Em meados de agosto enviámos-lhe essa miniantologia em prova digital, para que a verificasse. Ignorávamos que não iríamos ter resposta – Carlos Felipe Moisés falecera por aqueles dias. Foi para nós um choque – como sabemos que o foi para os seus próximos, para os amigos e muitos que o admiravam como escritor, como poeta e como pessoa.

Páginas: variável (197 no nº27)
Preço: 10€
ISSN: 1645-474X

Além desses três poetas do Brasil, este número inclui também alguns poemas de C. Ronald, presente pela terceira vez na DiVersos. Esses quatro nomes integram-se nos doze autores de língua portuguesa deste número. Além do poeta angolano Abreu Paxe, que surge em continuação do nosso interesse constante por poetas dos novos países de expressão portuguesa, alguns autores portugueses estão pela primeira vez aqui presentes: Bernardette Capelo, Bernardino Guimarães, Francisco José Craveiro de Carvalho (que desde o n.º 24 tem colaborado connosco como tradutor), José Pinto, Miguel Teotónio Pereira e Sérgio Ninguém. Outros, com muito gosto nosso, são reincidentes – Cristino Cortes, Diana V. Almeida e Francisco Cardo.

Nos restantes dez poetas, encontramos representados, em versão bilingue, oito línguas diferentes. O que julgamos ser caso único até agora na DiVersos. Três delas são línguas eslavas: búlgaro, com Dimcho Debelyanov (traduzido por Zlatka Timenova), ucraniano, com Vasyl Makhno (traduzido por Maria Isabel Pereira), e, vertido diretamente do polaco por Maria Cristina Fernandes da Silva, Wisława Szymborska. Dois poetas são traduzidos do castelhano: o mexicano César Abraham Navarrete Vázquez (por Francisco José Craveiro de Carvalho) e Pedro Sevylla, pela segunda vez na Diversos, traduzido pelo próprio. Também do italiano temos dois nomes: Tonino Guerra (traduzido por Sandra Costa) e Valentina Diana, que já conhecemos do nosso número 14, traduzida por José Lima. Maria Polydouri (que nos faz lembrar algo de Florbela Espanca, Juana de Ibarbourou – DiVersos 20 – e de Edith Södergran – DiVersos 22) surge traduzida por Maria da Piedade Faria Maniatoglou. Por fim (mas é o primeiro no índice!), Arvind Krishna Mehrotra, poeta indiano de língua inglesa, aqui traduzido por Francisco de Carvalho, e Hermann Hesse traduzido do alemão a cuidado da DiVersos.

A DiVersos não tem distribuição comercial e apenas pode ser comprada diretamente ao editor, seja em números avulso seja em assinatura. Os números da DiVersos do n.º 2 (n.º 1 esgotado) ao n.º 15 custam €2,00 cada, os seguintes, €10,00 cada. Portes de correio variáveis conforme o peso. Para assinar uma série de quatro números (em Portugal: €30,00, para o estrangeiro, €38,00) ou para informações ou dúvidas, use os contactos gerais da página. Os novos assinantes ou os assinantes que renovem assinatura são convidados a escolher um dos títulos de poesia das Edições Sempre-em-Pé, que lhe será enviado gratuitamente como expressão de boas-vindas.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s