DiVersos nº20

Um convite a colaborar feito a Eduarda Chiote resultou em algo nunca antes acontecido na DiVersos: a publicação de poesia inédita de um só autor ao longo de 26 páginas. O conjunto que recebemos na sequência desse convite, Fiat Lux, além de notável, não era suscetível de ser fragmentado por meio da escolha de apenas alguns poucos dos seus 36 poemas. Deixar Fiat Lux de lado seria impensável – restou publicá-lo na íntegra, com a consciência de assim prestarmos um serviço à poesia de língua portuguesa.

Páginas: variável (144 no nº20)
Preço: 10€
ISSN: 1645-474X

Há pessoas que não supõem ser escritores nem poetas nem pretendem sê-lo – e são-no. Só em circunstâncias especiais da vida e da morte alguns dos que os rodeiam se apercebem verdadeiramente disso e descobrem ou redescobrem que aquela pessoa com quem conviviam ou convivem escreveu ou escreve poesia autêntica sem nunca ter querido passar por poeta. O reino da poesia etiquetada é mais estreito que o da poesia sem mais. É sempre com um interesse especial que nos damos conta de casos como esses, como hoje acontece aqui com alguma da poesia que escreveu Helena Faria e que depois de sua morte os próximos quiseram dar a conhecer, ou com aquela com que nos surpreendeu Zé Lima, aqui revelada ao abrigo de um explícito não-copyright com que ele a tinha antes editado.

Uma miniantologia de um poeta de que festejamos recentemente, em 2013, o 90.º aniversário, Luís Amaro, poeta de obra breve e cintilante, porque breve mais ainda luminosa, e uma miniantologia evocativa de Rui Knopfli, poeta que pertence a duas literaturas, a portuguesa e a moçambicana, um poema do português Rui Tinoco, que já antes colaborou com a DiVersos, e três poemas da brasileira Mariela Mei completam a poesia escrita originalmente em português incluída neste número.

Na tradução de poesia, Gabriel de la S. T. Sampol traduzido do catalão por Pedro Silva Sena, Wendy Cope traduzida do inglês pelo mesmo tradutor, Amelia Rosselli traduzida do italiano por Álvaro Faia, Blas de Otero traduzido do castelhano por Miguel Filipe Mochila, Francisco Gálvez traduzido da mesma língua por Ruy Ventura e, ainda do castelhano, Juana de America ou Juana de Ibarbourou (que figura na nossa capa), traduzida por C. Ronald e José Carlos Marques, completam os autores, todos eles em versão bilingue, traduzidos neste número.

A DiVersos não tem distribuição comercial e apenas pode ser comprada diretamente ao editor, seja em números avulso seja em assinatura. Os números da DiVersos do n.º 2 (n.º 1 esgotado) ao n.º 15 custam €2,00 cada, os seguintes, €10,00 cada. Portes de correio variáveis conforme o peso. Para assinar uma série de quatro números (em Portugal: €30,00, para o estrangeiro, €38,00) ou para informações ou dúvidas, use os contactos gerais da página. Os novos assinantes ou os assinantes que renovem assinatura são convidados a escolher um dos títulos de poesia das Edições Sempre-em-Pé, que lhe será enviado gratuitamente como expressão de boas-vindas.

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s