Safra do Regresso

Suplemento extemporâneo a Flor De Um Dia, é o subtítulo desta Safra do Regresso. Regresso do autor da última (1991-2005) de várias permanências no estrangeiro, e que se quis definitivo. Flor De Um Dia – Poesia Inédita Reunida, publicada neste mesmo editor em maio de 2009, integra toda a poesia escrita e retida pelo autor entre 1960-61 e 2005.  Em Safra do Regresso recolhem-se poemas escritos sobretudo após fechada a compilação de Flor de Um Dia e que retomam algumas das vozes a que se alude no primeiro poema dessa recolha. Dada a continuidade temática  e formal de cada uma das muito diversas vozes assumidas, o leitor interessado pode fazer desta Safra do Regresso, livro pequeno e que se lê depressa, um prólogo à leitura ou releitura de Flor De Um Dia como se fosse ainda o mesmo livro.

Continuar a ler

Anúncios

O Segundo Aceno

Um primeiro livro, mas um livro de maturidade plena. De grande unidade formal, exprime uma visão muito fina das relações intersubjetivas e das eternas complexidades do amor, da linguagem e da literatura.

Continuar a ler

Ecologia da Saúde

Robin Stott propõe aqui soluções aos problemas-chave que afligem o nosso atual sistema de saúde. Se quisermos constituir um verdadeiro serviço de saúde pública e não um «serviço da doença», precisamos de introduzir mudanças significativas nos processos de tomada de decisões. Mostra-se de que maneira uma interação reforçada entre as pessoas pode contribuir para a promoção da saúde, para a justiça social e para a melhoria do ambiente. É delineado um programa para a constituição de organizações locais que tenham por objetivo a busca da saúde, as quais poderiam tornar-se unidades de governação ou gestão local.

Continuar a ler

Campa Rasa e outros poemas

Uma poesia alegre e triste… como a vida. Vindo de raízes surrealistas, abjecionistas e, em parte, neo-realistas, a poesia de Afonso Cautela teve sempre uma nota muito própria e diferente. Em Campa Rasa afloram temas de ressonância do mundo e da vida que a aproximam de um diálogo com Teixeira de Pascoaes, Frei Agostinho da Cruz, António Correia de Oliveira e Bocage.

Continuar a ler

Instrumentos de Sopro

Paisagens interiores [Inscapes], eis o subtítulo deste livro. Livro que nasce da colectânea El lugar, la imagen, editada em 2006 em Espanha pela Editora Regional da Extremadura, com tradução para castelhano de Antonio Saéz Delgado (Professor na Universidade de Évora). Inclui um Prólogo do poeta brasileiro C. Ronald: «Ruy Ventura não tem nada de poeta português. Já desponta com universalidade.» No final, inclui notas do Autor, que referem as paisagens exteriores sem as quais não teriam existido as interiores que se vazam nos poemas do livro. Que incluem também paisagens culturais: objetos de arte, monumentos, achados arqueológicos.

Continuar a ler

Vida Adentro

Vida Adentro é o segundo livro publicado por Jorge Vilhena Mesquita, no qual o autor reúne a poesia que escreveu entre 1985 e 1990. Retomando algumas formas poéticas do seu livro anterior, O Sentimento da Ausência – o enigma, o rubai, o haiku, a redondilha -, e com ele partilhando uma poética da intensidade e da concentração expressivas, Vida Adentro marca porém, como o próprio título indicia, uma inflexão na sua obra da esfera do «ser» para a esfera da existência. Melhor do que uma paráfrase, talvez um dos seus poemas, Dilema de um homem, a exprima: «Não posso não agir (a tentação/da cobardia é vã neste momento)./Entre dois males cabe-me escolher,/que um erro meu deixou como opção./E quanto num e noutro há a perder/antecipando, disso me atormento./Que várias vidas, ambos, mudarão…».

Continuar a ler